Os pobres pagam mais para comer

Falta de logística adequada e condições favoráveis aos agricultores aumentam o custo dos alimentos

Comunicação IOS

O Programa Mundial de Alimentos (PMA) da Organização das Nações Unidas (OUNU)  informa que os moradores de países em desenvolvimento estão pagando até 100 vezes mais por um prato básico de alimentos, na comparação com o preço gasto por moradores de países ricos. E se as pessoas viverem em zonas de conflito, a diferença de preço por uma refeição simples pode ser até 300 vezes maior.

O alerta foi feito nesta segunda-feira, 16, às vésperas do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, que começa nesta terça-feira, 17, e segue até 20 de janeiro.  

O objetivo é  mostrar aos líderes das nações mais ricas do mundo as distorções no poder de compra dos ricos e dos pobres,  e lembrar que é um direito de todos o acesso à alimentos suficientemente nutritivos.

A instituição cita, por exemplo, que um morador do Malauí – país da África Oriental onde mais da metade da população vive abaixo da linha da pobreza - precisa gastar 41% da sua renda diária por uma tigela de feijão, enquanto que um sueco gasta 0.41% pelo mesmo prato, o que representa menos de 1 dólar.

Segundo o PMA, alimentar-se custa muito mais em países pobres devido a problemas de estocagem, de transporte e de distribuição, além da pouca variedade nas plantações, baixo acesso dos agricultores a mercados e falta de preparo para lidar com mudança climática e conflitos.

Com informações da Rádio ONU    

Crédito da Foto: 
Pexels / Binyamin Mellish
Data e hora: 
16/01/2017 12:45 2017
Data: 
16/01/2017 2017